Terapias complementares podem ser mais benéficas do que remédio